Teoria Efervescente

E eu que duvidei da existência de uma sétima efervescencia intergalática.

Hole

I thought i was a fool for no one
But, ooh, baby, I’m a fool for you
You’re the queen of the superficial
But how long before you tell the truth?
Ooooh-ahhh, you set my soul a-light
Ooooh-ahhh, you set my soul a-light
Glaciers melting in the dead of night
And the superstars sucked into the supermassive

E eu que já fui uma brasa…

Lembro do tempo onde tudo para mim era novo, quando tinha aquela sensação de pegar o mundo todo num abraço. Quando não tinha medo de ir em frente e não dependia de ninguém. Era egoísta, pensava em mim, sem medo do que pensariam. De quando eu não tinha nada a perder. De quando eu não tinha nada. Eu era só vontades e sonhos e desejos e aquela fome juvenil de ter tudo nas mãos só para jogar para o alto e deixar cair sobre o corpo. E lavar a alma com aquilo tudo.

Hoje em dia há tanto em jogo e há tantas coisas em mim, que tenho medo das decisões e acorvardo-me delas. Há tanto dentro de mim que perco a coragem de por tudo a perder. Me preocupo com as opniões, me apego a elas e creio nelas e me perco nisso tudo. Perco o brilho.

Parece que quanto mais cresço e penso que deveria me apegar menos e amar menos e depender menos mais eu vejo que quanto mais cresço mais preciso das pessoas e mais dependo delas, e isso é sempre decepcionante.

Causa tantas marcas e cicatrizes e mágoas. Achei que ficaria mais forte, achei que atingiria o auge mais só descobri que já estive no auge e não notei. Queria mais, achei que queria e poderia ter mais. Agora é tarde de mais.

As cicatrizes já estão aqui, as mágoas, as lembranças e os medos. E quase toda vontade e as esperanças foram embora e encontro-me parada. Mais parada do que nunca, apreciando o passado e desgostosa com o futuro.

É a última que morre.

E quando você acha que nada mais pode piorar, que você não pode se sentir pior e que no dia seguinte o sol brilhará e você notará que tudo vai ficar bem em algum momento da sua vida e todas as suas certezas voltarão e você saberá se fazer sorrir e assim deixará outras pessoas te fazerem sorrir também, vem um sábado deprimente repleto de nuvens e chuviscos.

Talvez tudo piore mesmo. Tenho uma única certeza e eu não gosto disso. Na verdade, tenho duas únicas e as duas são péssimas. Esse bimestre todo tem sido difícil demais. Tudo mudou e desmudou e acabou e machucou demais.

Quero que chegue o verão, quando o sol sempre brilha e não preciso de ninguém pra me aquecer e me proteger, é verão, afinal, não há o que temer….pelo menos até o carnaval. Pra mim é uma das épocas mais tensas de se passar sozinha, na mesma lista com dia dos namorados (que eu passei sozinha), dia dos pais (sozinha), natal (sozinha) e ano novo (sozinha). Desses, apenas 20% eu já estava solteira. Fora os aniversários de namoro e talz. Ahn, o destino fode com a minha vida.

A boa notícia é qua talvez eu compre um ratinho, talvez eu me distraia com isso. :)

O sol ainda vai brilhar, certo? Mesmo que demore…certo?

Devo ter atingido o auge da minha dor de cotovelo.

Olhe aqui, preste atenção
Essa é a nossa canção
Vou cantá-la seja aonde for
Para nunca esquecer
O nosso amor
Nosso amor!…

Veja bem, foi você
A razão e o porquê
De nascer esta canção assim
Pois você é o amor
Que existe em mim…

Você partiu e me deixou
Nunca mais você voltou
Prá me tirar da solidão
E até você voltar
Meu bem, eu vou cantar
Essa nossa canção…

Veja bem, foi você
A razão e o porquê
De nascer esta canção assim
Pois você é o amor
Que existe em mim…

Você partiu e me deixou
Nunca mais você voltou
Prá me tirar da solidão
E até você voltar
Meu bem, eu vou cantar
Essa nossa canção…

Everybody Changin’

Pego agora tudo o que tenho e todas as minhas forças, jogo fora. Preciso me manter sã, certo. Tudo vai ficar bem. É o que todos me dizem, tudo isso vai passar, que não é diferente, que não é mais importante e todo mundo passa por isso. Que eu tenho que aceitar que todos são assim e viver com isso. Tenho duas escolhas ou me igualo ou me mantenho cega e transbordando de esperanças.

Posso escolher a teceira opção camuflada?

Tudo e nada, junto e ao mesmo tempo.

Tenho tanto a dizer e ao mesmo tempo, parace que nada disso surtiria efeito. Queria apenas respirar todo ar que me fosse permitido de uma só vez e quando soltasse, soltasse junto as coisas que tenho a dizer, que penso em lhe contar mais falta-me folego, coragem, vontade as vezes.

São tantos ensaios na frente do espelho, das coisas que queria lhe dizer, que eu queria que você sentisse comigo. E quando estivessemos finalmente juntos, eu te olharia e colocaria sua mão junto do meu peito e deixaria você sentir o quão viva eu sou e o quão vivo é o que eu sinto  quando você se aproxima.

Li uma vez numa tirinha qualquer “quando eu não ouço a batida do seu coração, você já está distãnte demais.” e eu lembro disso e lembro da primeira vez que eu senti seu coração bater ritmado. Lembro que me senti segura alí, era um lugar só meu. Você era um lugar só meu.

Fico por aqui, dia sim, dia não, palavreando sobre o quanto sinto coisas. Mais é porque parece que não há mais nada a fazer. Até hoje, são tantos sonhos sobre tudo sobre nós. Você fala e eu fico pensando nisso e vejo que é distante demais da realidade que agente tem.

E é assim que acontece. Eu falei e falei e não parece fazer sentido. Eu paro e … Sei lá. Fica vazio e eu lembro que não importa o quanto eu sinta, nada vai mudar.

Brilhantina

Eu penso no que fazer agora. Não vejo caminho pela frente, só consigo ficar parada. Não faz sentido voltar. Não adianta com quantas cores eu pinte o cabelo ou quantos cortes eu faça, sei que não vou me sentir melhor e isso me dá medo. Eu já não lembro como sorrir, não lembro o que me faz feliz. Perco-me facilmente nas inexatidões da minha mente, esperando parada. Eu vejo bem claramente o quanto fui idiota e ainda sou, por tanto sofrer. Cada dia que passa parece que dói mais. Eu sei que eu estava cega, estou ainda, mais era uma cegueira tão confortável, era tão gostoso. Eu o tinha, podia me esconder em seus braços quando sentia medo ou me queixar em seu colo quando sentia dor. Era um consolo pra minha carência. Valeu tanto a pena. Eu posso sofrer hoje e amanhã e ter sofrido um bocado durante, mais Deus sabe como valeu a pena. Eu faria denovo, farei se possivel, porque o que há dentro de mim ainda é só dele.

Se eu pudesse mudaria isso, me mudara dele e mudaria ele de mim, mais não posso e de uma maneira estranha e contraditória eu não quero.

…nem eu entendo bem.